Internação involuntária como proceder

Internação involuntária como proceder


Se você tem algum parente que está perdido no uso de substâncias químicas, provavelmente já se perguntou como proceder e se a internação involuntária poderia ser a solução. Antes de mais nada, saiba que é muito comum ter receio de abordar um usuário de drogas, mesmo que seja um parente. O uso de drogas pode mudar muito a personalidade de uma pessoa, de forma que muitas pessoas ficam receosas de invocar o assunto devido à incerteza da forma com que a pessoa reagirá.

Antes de mais nada, é preciso entender que a melhor forma de ajudar uma pessoa que sofre com o vício é tentar superar esse medo e conversar de forma franca com ela, sem pressões ou julgamento, escolhendo a melhor hora possível para isso (evite, por exemplo, dias em que é perceptível que ele está sob o efeito das drogas). Com compreensão e empatia, é bem possível que você consiga convencê-lo a deixar que você o ajude a começar o caminho para a recuperação.

Se essa pessoa se mostrar receptiva à sua preocupação, pergunte se ela estaria disposta a buscar ajuda profissional. Mas saiba de antemão que pode ser que ela não esteja aberta a discutir essa opção e podem entrar na defensiva assim que o assunto for abordado. Se for esse o caso, esqueça o assunto por ora. Jamais ameace ou tente passar algum sermão. Se você já tentou algumas vezes, mas não teve sucesso, ou se essa pessoa passa a sofrer perigo de vida ou oferecer perigo aos outros, é hora de conversar com os demais familiares para considerar uma internação involuntária.

Antes de tudo, você deve saber mais sobre o assunto. Leia sobre como o vício acontece e como a droga age no organismo. Isso ajuda e muito no momento de conversar e interagir com essa pessoa, e em especial a não se abalar se ela decidir se voltar contra você. Lembre-se que estar bem é a melhor forma de ajudar quem precisa. Além disso, entre em contato com profissionais da área para obter conselhos sobre como lidar com a situação. Visite centros de reabilitação, veja o que funciona para você. Saiba que, havendo a autorização da família e de um médico, você pode solicitar a internação involuntária.

Um bom centro de reabilitação consegue te oferecer todo o suporte necessário nessa fase anterior à internação. Além disso, possui equipes especializadas que buscam o viciado onde quer que ele esteja, e o encaminham para a unidade de tratamento da forma mais sutil possível. Normalmente, isso ocorre em veículos não identificados, por meio de funcionários também não paramentados. Todo o procedimento é feito com segurança e discrição.

Após o período de detoxificação, o centro irá trabalhar no paciente a vontade própria de permanecer no local. Esse é o ponto mais delicado do tratamento, pois, se ele não se envolver com a recuperação, assim que ele sair dali, voltará para o vício. Portanto, esteja sempre envolvido com esse processo. Enviar alguém para a internação involuntária não faz com que suas obrigações acabem ali. Visite-o e envie lembranças sempre que possível. Você pode até ser visto com maus olhos no início, mas, no final, tudo isso recompensará.

Blog

Como tratar um dependente químico em recuperação

Como tratar um dependente químico em recuperação

Quem conhece alguém que busca sair do caminho das drogas sempre se pergunta como tratar um dependente químico em recuperação. ...

Ler mais

Como funcionam as clínicas de reabilitação de drogas

Como funcionam as clínicas de reabilitação de drogas

Quando se busca tratamento para uma pessoa querida, a primeira dúvida que surge, normalmente, é como funcionam as clínicas de reabilitação de drogas....

Ler mais

Onde encontrar ajuda para dependentes químicos

Onde encontrar ajuda para dependentes químicos

Existem muitas profissões que podem ter especializações em como cuidar de quem possui um vício e como ajudar na prevenção. ...

Ler mais

Como agir com um dependente químico

Como agir com um dependente químico

Quando alguém se vicia em alguma substância química, isso pode ter um impacto negativo não só em sua vida, mas também na de seus familiares e amigos....

Ler mais