(15) 99104-2002

COCAÍNA E SEUS DERIVADOS NA GESTAÇÃO

24/11/2023

COCAÍNA E SEUS DERIVADOS NA GESTAÇÃO

Cocaína e Derivados na Gestação.

Bebês de mulheres viciadas em cocaína e derivados nascem com síndrome de abstinência. Na grávida, a cocaína pode deixar a placenta baixa, podendo levar a hemorragias e sangramentos durante a gestação. A bolsa também pode romper precocemente e o bebê nascer prematuro.

Além da síndrome da abstinência, alterações comportamentais e dificuldade no aprendizado escolar na primeira infância. A cocaína e seus derivados na gestação, exerce seus efeitos interferindo na receptação de neurotransmissores, como a dopamina e a norepinefrina, nas terminações nervosas pré-sinápticas. Essa interação resulta em vasoconstrição, taquicardia, hipertensão, e aumento na concentração plasmática das catecolaminas. A droga pode ser administrada por via endovenosa ou inalatória, esta última absorvida pela mucosa nasal. A cocaína alcalina, denominada "crack", é preparada por processo de aquecimento, e consumida em cachimbos ou apetrechos parecidos, é tragado como o cigarro sendo absorvida pelas membranas pulmonares. Seu metabolismo é feito através das colinesterases plasmáticas (http://www.ufrrj.br/institutos/it/de/acidentes/vene4.htm ), e hepáticas. Na gravidez, as colinesterases tanto materna quanto fetais estão diminuídas levando ao acúmulo da droga e maior potencial de toxicidade. O uso da cocaína na gestação tem sido relacionado a aumento do risco de abortamento espontâneo, que juntamente com o descolamento prematuro de placenta são mais incidentes em gestantes usuárias da forma endovenosa. Os recém nascidos expostos a cocaína durante a gestação apresentam baixo peso ao nascer, menor comprimento na estatura e menores medias de perímetros cefálicos. O menor crescimento intrauterino foi confirmado em recém nascidos. A vasoconstricção mediada pela cocaína na circulação fetal pode causar infartos cerebrais de media a grande extensão, de onde provem as lesões de sistema nervoso central relatadas. Malformações de trato urinário foram evidenciadas em trabalhos com controle de variáveis para outras exposições tóxicas. Os tumores infantis, apesar de raros despertam interesses.

O uso de cocaina durante a gestação é algo que vem crescendo proporcional ao uso das mesmas na sociedade, porém seu diagnóstico é precário, sendo em grande parte omitido pelas gestantes e pouco investigado pelos médicos, gerando com isso graves problemas no desenvolvimento do feto.

É importante que médicos e equipe estejam atentos a comportamentos das gestantes durante o pré-natal para diagnosticar o quanto antes o uso e assim orientar a retirada da substância.

 Um fato importante que deve ser levado em consideração durante o pré-natal é as condições sócio-econômica da gestante, pois é notório que o uso está associado às baixas condições sociais. Por fim, o uso de cocaina durante a gestação é extremamente prejudicial para o desenvolvimento e formação do feto, podendo causar malformação ou até mesmo o aborto, portanto, é importante orientar as gestantes e familiares quanto aos riscos do uso para o feto e para a mãe.

Nós da clínica VILLA FLOR estamos a disposição para você e  seu bebê terem momentos agradáveis e tranquilo conte com gente!

Entre em contato

Este site usa cookies do Google para fornecer serviços e analisar tráfego.Saiba mais.