(15) 99104-2002

Codependência, Você é e não Sabe!

24/11/2023

Codependência, Você é e não Sabe!
Codependência, Você é e não Sabe!

Codependência é um termo muito usado para aqueles que estão se tratando da doença dependência química mas podemos se referir a todas pessoas fortemente ligadas emocionalmente a uma pessoa com séria dependência física e/ou psicológica de uma substância (como álcool ou drogas ilícitas) ou com um comportamento problemático e destrutivo pelo objeto de compulsão (como jogos, trabalho, sexo, comida, uso de drogas) que o leva a um transtorno de personalidade. É um fato conhecido que a dependência patológica causa grande impacto e sofrimento na vida das pessoas próximas, familiares amigos e todos que diretamente estão ligados ao mesmo mas poucos percebem como a codependência é altamente prejudicial para ambas partes envolvidas. Ao invés de ajudar o dependente a melhorar, certos tipos de codependentes acabam forçando o comportamento doente do dependente ou seja conspiram constantemente, (consciente ou inconscientemente) para que o dependente volte ao uso isso por também estar disfuncional e não ter habilidade de procurar ajuda pois para isso deve assumir a responsabilidade que o cabe para tomar decisões coerentes e sensatas para uma boa e harmoniosa convivência e isso o tornaria obsoleto para o dependente.

 Codependente é uma pessoa que tem deixado o comportamento de outra afetá-la, e é obcecada em controlar o comportamento dessa outra pessoa.

O codependente acredita que sua felicidade depende da pessoa que tenta ajudar, mas essa “felicidade” nunca chega, e assim se torna dependente do adicto emocionalmente, sendo excessivamente permissivo, tolerante e compreensivo com os abusos do outro, mesmo que este seja excessivamente controlador, perfeccionista e autoritário. É comum que o codependente coloque as necessidades do outro, acima de suas próprias. É comum que desenvolvam duplo vinculo.

SINTOMAS DE CODEPEDÊNCIA

Algumas das características do codependente, são:

  • Considerar-se e sentir-se responsável por outra(s) pessoas(s) – pelos sentimentos, pensamentos, ações, escolhas, desejos, necessidades, bem-estar, falta de bem-estar e até pelo destino dessa(s) pessoa(s).
  • Sentir ansiedade, pena e culpa quando a outra pessoa tem um problema.
  • Sentir-se compelido – quase forçado – a ajudar aquela pessoa a resolver o problema, seja dando conselhos que não foram pedidos, oferecendo uma série de sugestões ou equilibrando emoções.
  • Ter raiva quando sua ajuda não é eficiente.
  • Comprometer-se demais.
  • Culpar outras pessoas pela situação em que ele mesmo está.
  • Dizer que outras pessoas fazem com que se sinta da maneira que se sente.
  • Achar que a outra pessoa o está levando à loucura.
  • Sentir raiva, sentir-se vítima, achar que está sendo usado e que não sente sendo apreciado.
  • Achar que não é bom o bastante.
  • Contentar-se apenas em ser necessário a outros.

Nem toda forma de apoio, compreensão e altruísmo são problemáticos, eles podem ser muito úteis e importantes para o funcionamento da família, só se tornam problemáticos quando causam grande sofrimento aos envolvidos e não ajudam a resolver o comportamento patológico da pessoa-problema.

TRATAMENTO

É importante que o codependente faça algum tipo de acompanhamento psicológico (seja ele terapias de casais terapias de grupos ou terapia individual), pois trata-se de uma situação que envolve grande sofrimento e muito difícil de ser resolvida sem ajuda. Em alguns casos acompanhamento psiquiátrico também é recomendado. 

Padrões de codependência não resolvida pode levar a problemas mais graves como o alcoolismo, dependência química, transtornos alimentares e outros comportamentos autodestrutivos e vícios patológicos. As pessoas com codependência também são mais susceptíveis de atrair novos abusos de indivíduos agressivos, mais propensos a ficar em empregos estressantes ou relacionamentos desgastantes, menos propensos a procurar atendimento médico quando necessário e também são menos propensos a receber promoções e tendem a ganhar menos dinheiro do que aqueles sem os padrões de codependência.

Apesar da importância da psicoterapia, deve-se ter cautela ao escolher tratamentos, pois nem todos são baseados em evidências, alguns são apenas baseados em crenças e filosofias que podem causar ainda mais prejuízo a família envolvida.

Nós da CLINICA VILLA FLOR sempre preocupados com a recuperação plenanos dedicamos a atuamos também com os familiares a ponto de que juntos possamos fazer com que essa dificuldade seja apenas um mero episódio na vida, e todos os envolvidos venham ter suas vidas restauradas e sigam todos autonomamente mas sempre lembrando da unidade que é o bem maior a FAMILIA!

Entre em contato

Este site usa cookies do Google para fornecer serviços e analisar tráfego.Saiba mais.