Como tratar um dependente químico em recuperação


Como tratar um dependente químico em recuperação

Quem conhece alguém que busca sair do caminho das drogas sempre se pergunta como tratar um dependente químico em recuperação. A decisão de estar do lado dessas pessoas nem sempre é fácil e o caminho pode ser bastante tortuoso, mas sempre tenha em mente que, com o seu apoio, a pessoa querida tem muito mais chances de se recuperar do vício, e saiba que o agradecimento chegará, ainda que demore a vir. É claro que cada situação é única, mas existem algumas atitudes que você pode tomar para tornar o caminho da recuperação mais fácil.

Não existe uma forma simples de se aproximar de alguém que luta contra um vício. Seja por sentimento de vergonha e inferioridade, seja por raiva gerada pela abstinência, o paciente pode tentar se fechar de contato com pessoas que antes lhe eram próximas, e evitar contato com quem quer que seja. Compreenda. Superar um vício requer uma imensa força de vontade e uma grande dose de determinação, e eventualmente essas barreiras serão dissolvidas e você poderá se reaproximar dele.

Quando você conseguir ter contato, a primeira coisa que você deve buscar fazer é estabelecer uma relação de confiança. Isso pode ser muito difícil de se fazer, especialmente se a confiança entre vocês já foi quebrada, mas será muito benéfico tanto para a recuperação do viciado quanto para remendar suas próprias mágoas. Para isso, evite criticá-lo ou passar sermão, não grite com ele, não exagere e livre-se dos seus próprios vícios, para que consiga passar um bom exemplo. Esteja sempre aberto a conversar e ouvir seus problemas sem julgamento. Seja um ombro amigo.

Além disso, tenha em mente que, muito embora você tenha a intenção de ajudar o paciente em recuperação, às vezes ele poderá recusar sua ajuda. Por isso, se as atitudes dessa pessoa estiverem te deixando mal, busque auxílio para você em primeiro lugar. Para cuidar bem de uma pessoa em recuperação, você deve estar bem. Por isso, leve uma vida saudável, coma bem, pratique exercícios físicos, durma horas suficientes, tudo para estar com bons espíritos quando for lidar com essa pessoa, para não fazer nada que você possa se arrepender depois.

Outra atitude muito importante é respeitar a privacidade do paciente em tratamento. Se ele te pediu segredo, não saia contando para família ou para amigos, por mais próximos que eles sejam. Também não fique perguntando sobre o que acontece na terapia se ele não quiser falar. Isso tudo é muito particular, e você deve sempre se lembrar quão difícil é o caminho que a pessoa querida está percorrendo. Por outro lado, esteja disponível sempre que for chamado. Participe das sessões de terapia familiar e ofereça seus conselhos sempre que solicitado. Você não precisa assumir uma posição passiva – basta não agir com rispidez, nem forçar a barra. Com o tempo, as feridas vão sendo curadas e você conseguirá perceber qual a melhor forma de lidar com essa pessoa. Saiba sempre que família e amigos que participam do processo de recuperação aumentam muito as chances de que o viciado consiga manter uma vida saudável após a alta. Portanto, não desista.